Notícias
Agenda de Eventos
Turbine seu tablet
Performance

Entrevista

“Hoje é possível sequenciar um genoma levando apenas alguns dias”

Médica de formação, Valéria Ede de 2001 a 2008, foi Diretora Comercial da Divisão de Oncologia do Roche sendo responsável pela estruturação desse departartamento aqui no Brasi, lançando medicamentos como Herceptin, Mabthera, Avastin, Xeloda e Tarceva. A partir de 2008, fundou empresa de consultoria em Oncologia e hoje esta à frente da Foundation Medicine no Brasil.

A Foundation Medicine é uma empresa americana de informação molecular, que avalia mais de 314 genes relacionados ao câncer, e tem como objetivo proporcionar aos oncologistas o conhecimento profundo das alterações moleculares presentes nos tumores para que os pacientes possam receber um tratamento personalizado. “Estas alterações moleculares decorrem de mudanças na sequência do DNA celular, levando a uma alteração do funcionamento total da célula que passa a proliferar de uma forma anormal”, explica Valéria Ede.

Em entrevista exclusiva ao Top Team, Dra. Valeria Ede fala sobre Medicina de Precisão, comenta os principais desafios e fala sobre o futuro da medicina. Acompanhe a seguir os principais trechos:

Top Team: O que é Medicina de Precisão?
Dra. Valéria Ede: Medicina de Precisão é um termo que evolui da conhecida Medicina Personalizada. Em Oncologia, cada vez mais, surgem evidências de que cada tumor é único. Ou seja, não existira um tumor molecularmente igual ao outro, mesmo que de mesmos tecidos. A necessidade de conhecer os genes que esse tumor expressa, identificar o tratamento correto para a pessoa certa, na hora certa, é a medicina de precisão, ou seja, buscar qual é a característica especifica da doença de um indivíduo, no caso um tumor, para administrar o tratamento adequado.

Top Team: O que é Informação Molecular?
Dra. Valéria Ede: A carcinogênese origina-se de um processo de múltiplas etapas onde as células vão progressivamente adquirindo alterações genéticas que levam a proliferação desordenada. A identificação e mapeamento destas alterações através de tecnologia de sequenciamento do DNA fornece a informação molecular. A introdução de novas tecnologias para o sequenciamento e análise do DNA em larga escala (sequenciamento paralelo em larga escala ou next generation sequencing – NGS) permitiu uma nova etapa no mapeamento das alterações genéticas responsáveis pelo processo da carcinogênese. O sequenciamento por NGS permitiu um drástico aumento na identificação da quantidade de sequências de DNA em comparação ao método tradicional de sequenciamento Sanger, junto com uma redução dos custos de sequenciamento. Há uma década, o Projeto Genoma Humano completo levou 13 anos e 3 bilhões de dólares para sequenciar o primeiro genoma humano utilizando o método Sanger . Hoje, com o NGS, é possível sequenciar um genoma diploide humano por aproximadamente 5 mil dólares, levando apenas alguns dias.

Top Team: Quais os benefícios da Medicina de Precisão?
Dra. Valéria Ede: Hoje, estão em desenvolvimento várias tecnologias de NGS, permitindo significativos avanços em várias áreas. Uma delas é na Oncologia, com o sequenciamento do DNA e RNA de tumores.Essa tecnologia tem sido utilizada em estudos para identificação do perfil genômico de vários tumores. A compreensão da ação dessas alterações nas vias de sinalização celular é o que possibilita o desenvolvimento das novas terapias-alvo que tem revolucionado o tratamento de pacientes oncológicos. Hoje, testes de sequenciamento identificam a mutações gênicas e a identificação da terapia correspondente. É também utilizada para identificação de mutações ligadas ao câncer hereditário.

Top Team: Quais os desafios enfrentados pela Medicina de Precisão?
Dra. Valéria Ede: É uma mudança de paradigma. O tratamento do câncer baseia-se ainda na classificação histológica dos tumores (por tipo de tecido, mama, pulmão, coloreto etc). Essa abordagem terapêutica tradicional baseia-se no uso uniforme de tratamentos. Num futuro muito próximo, o tratamento será baseado no tratamento por tipo de via ativada independentemente do tipo histológico. Outros desafios estão na condução do paciente com duas ou mais mutações significativas ou “drivers”, onde veremos em breve a utilização de duas ou mais terapias-alvo concomitantes. Os custos dos tratamentos também são elementos importantes, no entanto, há também vantagens no custo- benefício que precisam ser estimadas.

Top Team: Para finalizar, no futuro, como a medicina deve se desenvolver?
Dra. Valéria Ede: O maior desafio reside no desenvolvimento de novos fármacos e estudos clínicos, comprovando a relevância das alterações identificadas para que a promessa da Medicina de Precisão seja concretizada. Estima-se que novas terapias-alvo sejam incorporadas ao arsenal terapêutico contra quase todos os tipos de câncer nos próximos cinco anos.


Leia também...
O que deve ser levado em conta em uma reestruturação comercial?

Imprimir Enviar esta página home
versão em inglês edições anteriores expediente fale conosco receba o TopTeam