TOPTEAM ONLINE


Edição 02 - Ano 19


Cientistas criam antibióticos capazes de matar superbactérias
Após uma análise computadorizada do DNA de bactériasque habitam nossa pele e intestino, cientistas identificaram duas poderosas proteínas de ação antibiótica, capazes de inabilitar os micro-organismos. A gumimitsin A e a gumimitsin B podem ajudar o organismo a combater até as superbactérias, que se tornam "invulneráveis" aos medicamentos atuais. O resultado da pesquisa foi publicado na revista científica Nature Chemical Biology. "Os novos antibióticos podem funcionar como um 'reforço' para outras drogas. O efeito que eles têm na sobrevivência de micróbios pode ser comparado com uma pessoa que aperta uma mangueira em dois lugares diferentes. Somente um aperto não consegue parar completamente o fluxo de água, mas a combinação dos dois interrompe gradualmente o fluxo", diz o pesquisador Sean Brady, da Universidade Rockefeller, nos Estados Unidos, co-autor do estudo.


Dicol discute medicamento para doenças raras
A regulamentação de um procedimento especial para o registro de medicamentos e produtos biológicos para o tratamento de doenças raras é um dos temas da pauta da próxima Reunião Pública da Anvisa, que ocorre nesta terça-feira (22/11), em Brasília. Se a Iniciativa Regulatória for aprovada, a Agência vai começar o trabalho para elaborar uma norma sobre o tema. Este é o primeiro passo de uma proposta de regulamentação na Anvisa. A Agência também poderá iniciar a discussão para atualizar os produtos à base de canabidiol em associação com outros canabinóides, dentre eles o THC, constantes da RDC 17/2015. Esta é a norma que trata da importação excepcional de produtos com canabidiol. Outra matéria em pauta é a proposta de iniciativa para alteração da Resolução RDC 50/2014, que dispõe sobre as medidas de controle de comercialização, prescrição e dispensação de medicamentos que contenham as substâncias Anfepramona, Femproporex, Mazindol e Sibutramina, seus Sais e Isômeros.


Roche é a melhor empresa para o consumidor
O ranking As Melhores Empresas para o Consumidor 2016 apontou a Roche como a campeã da categoria Química e Farmacêutica. A pesquisa, realizada pelo site Reclame Aqui em parceria com a revista Época, avaliou 684 empresas em dezenas de categorias. Dois critérios principais definem as melhores para o consumidor: “Índice de Solução” (mede o percentual de casos resolvidos pela empresa) e “Voltariam a Fazer Negócio” (percentual de satisfeitos com a solução proposta pela empresa). A Roche obteve 82,9% no primeiro critério e 80% no segundo. Outros laboratórios farmacêuticos finalistas foram:
2º) Aché
3º) EMS
4º) FQM Farmoquímica
5º) Sanofi
6º) GlaxoSmithKline

Farmácias

Na categoria Farmácias, a Ultrafar foi a 1ª, com Drogasil em 2º e NetFarma em 3º. Na categoria Hospitais e Clínicas, o Hospital Israelita Albert Einstein foi o 1º; Odontoclinic (2º); Hospital 9 de Julho (3º); dr. Consulta (4º); Hospital Bandeirantes (5º); Clínica Fares (6º); e Clínica Felippe Mattoso (7º).
Na categoria Planos de Saúde, o Biovida Saúde foi o 1º; Hapvida Saúde (2º); Centro Trasmontano de Saúde (3º); Clinipam (4º); e Allcare – Unifocus (5º).
Na categria Laboratório e Imagem, o Fleury foi o 1º; Lavoisier (2º); CPDI (3º); Lab. Dr. Sérgio Franco (4º); A+Medicina Diagnóstica (5º); Salomão Zoppi (6º); Bronstein (7º); 8º Labs A+/RJ; e Lâmina (9º).


CHMP concede opinião positiva a tratamento da AbbVie para a hidradenite supurativa em adolescentes
A AbbVie anunciou que o Comité de Medicamentos de Uso Humano (CHMP) da Agência Europeia do Medicamento (EMA) concedeu uma opinião positiva a Humira (adalimumab) para o tratamento da hidradenite supurativa (HS) ativa, moderada a grave em adolescentes a partir dos 12 anos de idade que tenham tido resposta inadequada à terapêutica sistémica convencional. Caso seja aprovado, Humira será a primeira e única opção de tratamento biológico para doentes a partir dos 12 anos de idade, com HS. Humira foi aprovado pela Comissão Europeia em 2015 para o tratamento de adultos com HS moderada a grave.


Zodiac lança campanha de combate à infecção urinária
A Zodiac Produtos Farmacêuticos acaba de lançar uma campanha nacional de combate à infecção urinária, patologia geralmente bacteriana, que traz dor e outros desconfortos ao paciente, como ardência ao urinar, dificuldade ou sensação de urgência urinária, urina turva e com forte odor, além sangramento e febre, em alguns casos. Com o objetivo de alertar a população sobre o aumento da incidência da patologia nos meses mais quentes do ano, a iniciativa movimentará as seguintes praças: São Paulo (SP), litoral Sul (SP), litoral Norte (SP), Rio de Janeiro (RJ), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE) e Recife (PE). As ações programadas envolvem divulgação em mídia local, com foco em rádios, e parcerias com órgãos governamentais das praças relacionadas. “Apesar de concentradas em algumas cidades brasileiras, a nossa missão é informar, em âmbito nacional, a população sobre os riscos da infecção urinária e, sobretudo, como evitá-la”, afirma a ginecologista, Regina Ares.


FDA aprova tratamento da Bristol-Myers Squibb para câncer de cabeça e do pescoço
O Opdivo (nivolumab) da Bristol-Myers Squibb recebeu a aprovação da FDA para o tratamento do câncer de cabeça e Pescoço. A Food and Drug Administration (FDA)aprovou o Opdivo (nivolumab) da Bristol-Myers Squibb, para o tratamento do câncer da cabeça e pescoço. Segundo informação enviada pela Bristol-Myers Squibb, em comunicado, o Opdivo é o primeiro e único tratamento de imunoncologia aprovado para o tratamento desta patologia.


Novartis anuncia compra da norte-americana Selexy Pharmaceuticals
Novartis anunciou hoje a compra da norte-americana Selexys Pharmaceuticals Corp., um laboratório de investigação sobre sangue e doenças inflamatórias. O negócio está avaliado em até 665 milhões de dólares (627 milhões de euros). Num comunicado, citado pela “Lusa”, a Novartis refere que a compra da Selexys surgiu depois de ver os resultados dos testes, com uma ampla amostra, a um medicamento para tratar a dor de pessoas que padecem de falciforme, um tipo de anemia em que a empresa é especializada.


Redes de farmácias já se preparam para oferecer vacinas e diagnósticos
No caso da Pague Menos, mais da metade das lojas já têm um espaço para atendimento. "Até o fim de 2017, todas as unidades terão estrutura", diz o fundador da empresa, Deusmar Queirós. As companhias têm se reunido com fornecedores nos últimos meses com a expectativa de que as regras saiam até o fim de 2016, segundo Sérgio Mena Barreto, presidente-executivo da Abrafarma, que reúne as grandes redes. A Ascensia, que planeja fazer monitoramento de glicemia nas lojas, já tem parcerias com farmácias, "que serão implementadas assim que as regras forem aprovadas", afirma Patricia Gaillard, gerente-geral da empresa no país. Algumas redes já oferecem os serviços, respaldadas por regras locais, como a carioca A Nossa Drogaria. "Se a Anvisa não regular nacionalmente, iniciativas vão ser aprovadas em municípios e Estados. Vai virar uma colcha de retalhos legislativa", afirma o sócio-diretor da empresa Eduardo Pereira.


Medley aposta em similar para acelerar expansão
Uma das maiores fabricantes de medicamentos genéricos do país, a Medley, do grupo francês Sanofi, aposta nos similares como motor do crescimento dos negócios nos próximos anos, uma classe de remédios que tem registrado expansão acelerada no país e cujas margens não são tão comprimidas por descontos quanto as dos genéricos. A estratégia que privilegia o lançamento de similares, porém, não representa o enfraquecimento da área de especialidade do laboratório constituído há 20 anos e comprado pelos franceses em 2009 por R$ 1,5 bilhão. Naquele momento, o mercado de genéricos no país estava em plena expansão e o retorno com o negócio ainda não era tão pressionado. Hoje, as vendas desse tipo de medicamento, em unidades, puxam as vendas totais de fármacos no país. Mas pela primeira vez, em receita, o ritmo de expansão ficará abaixo do mercado em geral.


Novo Nordisk expande programa para alcançar 20.000 crianças com diabetes em países em desenvolvimento
A Novo Nordisk acaba de anunciar uma extensão de quatro anos em seu programa Changing Diabetes® in Children (Mudando o Diabetes em Crianças, em português), que fornece acesso ao tratamento do diabetes e insulina gratuita para crianças com diabetes tipo 1 em países em desenvolvimento. A expansão inclui cinco novos países no programa - Camboja, Costa do Marfim, Mianmar, Senegal e Sudão -, com o objetivo de beneficiar, até 2020, mais de 20.000 crianças quando terão decorridos 11 anos do programa.


Ministro convoca farmacêuticas a propor formas de baratear remédios do SUS
O ministro da Saúde, Ricardo Barros, convocou a indústria farmacêutica a propor soluções no sentido de buscar tecnologias que tornem os medicamentos distribuídos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) mais baratos e eficientes. O intuito é baixar os custos do Poder Público. O ministro participou hoje de um encontro reservado com 56 empresários vinculados à Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma). De acordo com o ministro, os seus interlocutores demonstraram interesse em propor o que o governo precisa: “modernizar o relacionamento da indústria com o governo e ampliar as pesquisas químicas, os novos medicamentos e os investimentos na área de pesquisa e tecnologia”. No encontro, estavam os representantes de laboratórios multinacionais que mantêm acordos com o governo para Parcerias de Desenvolvimento Produtivos (PDPs). Por meio das PDPs, é feita a transferência de tecnologia para a rede de instituições públicas que produzem os medicamentos distribuídos de graça pelo SUS. Entre essas instituições estão o Instituto Butantã e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).



Fontes:
Valor Econômico
O Estado de São Paulo
Snif Brasil
Reuters Brasil
FirstWord Pharma
Netfarma


VOLTAR

Enviar esta página


TOP TEAM | ONLINE